MATEUS 20, 29-34 (417)

Texto bíblico diário comentado (417)

Irmãos e irmãs,

Participemos da leitura e reflexão diária da Palavra de Deus. Quem enxerga Jesus como Messias chegou à fé, que deve ser compromisso com Ele até o fim.

Mateus 20, 29-34 – Os dois cegos de Jericó – Enquanto saíam de Jericó, uma grande multidão os seguiu. E eis dois cegos, sentados à beira do caminho. Ouvindo que Jesus passava, puseram-se a gritar: "Senhor, filho de Davi, tem compaixão de nós!" A multidão repreendeu-os para que se calassem. Mas eles gritavam ainda mais alto: "Senhor, filho de Davi, tem compaixão de nós!" Jesus parou, chamou-os e disse: "Que quereis que vos faça?" Responderam-lhe: Senhor, que nossos olhos se abram!" Movido pela paixão, Jesus tocou-lhes os olhos e, imediatamente, eles recuperaram a visão. E o seguiram. Palavra da Salvação!

Comentário: O que ocorreu na cidade de Jericó - cidade há 28 km de Jerusalém, para onde Jesus se dirigia e onde se realizaria Seu sacrifício e morte pela humanidade - nos apresenta uma situação de súplica e sofrimento de dois homens cegos em busca de ajuda: "Senhor, filho de Davi, tem compaixão de nós!"

Aquele clamor se repetiu insistentemente. Quando alguns da multidão pediam para parar aqueles gritos, é que aquela súplica se acentuava: "Senhor, filho de Davi, tem compaixão de nós!" (...) "Senhor, filho de Davi, tem compaixão de nós!" (...).

O reconhecimento por parte daqueles homens, sofridos e carentes, de que Jesus era o "Filho de Davi", era também o reconhecimento de que Jesus era o "Messias esperado", pois o nome "Filho de Davi" era o nome clássico dado à figura esperada do Enviado de Deus.

Mesmo com sua limitação visual, os cegos tiveram a visão da fé, a exemplo de Nicodemos quando foi visitar Jesus numa noite, cf Jo 3,2: "Rabi, sabemos que vens da parte de Deus como mestre, pois ninguém pode fazer os sinais que fazes, se Deus não estiver com ele". Enquanto muitos outros não acreditaram em Jesus, embora testemunhassem tudo o que Ele realizava, os cegos, porém, não perderam a oportunidade de Sua passagem por aquele caminho, e usaram bem sua insistente oração com fé.

"Jesus parou, chamou-os e disse: Que quereis que vos faça?" Temos certeza do que Jesus sabia o que eles queriam. Então, por que perguntou? Certamente Ele buscou dar uma lição a todos naquele instante. Pois, embora os pais saibam do que os filhos precisam, gostam de ouvir deles a exposição de suas necessidades. Então, sejamos claros em nossas orações.

Responderam-lhe: "Senhor, que nossos olhos se abram! Movido pela paixão, Jesus tocou-lhes os olhos e, imediatamente, eles recuperaram a visão". Os cegos foram capazes de reconhecer o Rei que instaura a justiça. Quem assim enxerga chegou à fé, que é compromisso com Jesus até o fim: "E o seguiram". Quem não enxerga continua à beira do caminho. Fica o nosso grande pedido: Senhor, que nossos olhos se abram para a Tua grandeza e o para o Teu infinito amor.

Um forte abraço para todos

Fraternalmente,

Severino Alves

E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

1Curtir · · Compartilhar

Acesso Restrito