NATAL e natais

NATAL 2011

O Natal é visto sob várias óticas e com muitas lentes. Visto no tempo, há o Natal das origens, há o Natal em suas manifestações genuínas, em diversas nações e culturais, e há o Natal instrumentalizado de muitas maneiras. O Natal das origens, sem dúvida, tem a marca da simplicidade porque remonta à sua fonte mais autêntica que é a Bíblia. Com efeito, o relato do nascimento de Jesus, em seu Natal em Belém da Judeia, chama a atenção, pela dignidade de suas personagens centrais – Jesus, Maria e José, pela sobriedade do cenário de seu nascimento - uma manjedoura e animais e pela pobreza dos primeiros adoradores - os pastores. (cf. Lc 2,20) No período do Advento e Natal, a leitura do relato bíblico, os rituais litúrgicos e as encenações teatrais falam à razão e tocam o coração das pessoas. De fato, quando visto, compreendido e celebrado nessa ótica, o Natal aprofunda o vínculo da relação divino-humana porque, com a humanização de Jesus no seu Natal, a divinização do homem é alcançada, mediante as graças dos Sacramentos. O Natal também é acolhido hoje através de sinais muito concretos, em relação a causas que dizem respeito a direitos humanos e a conquistas sociais. A celebração do Natal, comumente, é marcada pela nota da solidariedade, como "Natal sem fome", "Natal da Solidariedade" e outras expressões, nas comunidades.

Na compreenso do Natal, dentre muitas manifestaes culturais, destaca-se o prespio, por seu carter simblico. "O prespio talvez a mais antiga forma de caracterizao do Natal. Sabe-se que foi So Francisco de Assis, na cidade italiana de Greccio, em 1223, o primeiro a usar a manjedoura com figuras esculpidas formando um prespio, tal qual o conhecemos hoje. A ideia surgiu enquanto o santo lia, numa de suas longas noites dedicadas orao, um trecho de So Lucas que lembrava o nascimento de Cristo. Resolveu ento mont-lo em tamanho natural, em uma gruta de sua cidade. O que restou desse prespio encontra-se atualmente na Baslica de Santa Maria Maior, em Roma. Prespio significa em hebraico 'a manjedoura dos animais', mas a palavra usada com frequncia para indicar o prprio estbulo. Jesus ao nascer foi reclinado em um prespio que provavelmente seria urna manjedoura, como as muitas que existiam nas grutas naturais da Palestina, utilizadas para recolher animais. Outra verso que o prespio de Jesus era feito de barro, aproveitando-se uma salincia da rocha e adaptando-a para tal finalidade. Esta , sem dvida, a verso mais aceita. (...) No Brasil, em muitos estados do Nordeste, at hoje a montagem dos prespios acompanhada de danas e festejos conhecidos como Pastorinhas, verses brasileiras dos autos de Natal, que eram encenaes do nascimento de Jesus tpicas de algumas regies da Europa, como a Provena, na Frana. (...) O pastoril um dos autos natalinos mais animados e cheios de ternura encenados no serto nordestino. As pastorinhas cantam msicas de homenagem ao 'Deus Menino', que chega no dia de Natal."

Com o passar do tempo, o Natal passou a ser compreendido e tratado como evento social e da, como corolrio, as numerosas comemoraes de alcance coletivo, em praas e casas de show. Do Natal primitivo, restam o nome e qualquer coisa mais! Tudo isso contribui para uma crescente desvirtuao do sentido da comemorao do Natal de Cristo.

Como se v, h o natal do 13 salrio, das compras, dos presentes, das viagens, da confraternizao, da solidariedade; por sua importncia litrgica, destaque-se o Natal do Senhor na vida dos cristos!

Dom Genival Saraiva

Bispo de Palmares - PE

Acesso Restrito