SANTO PADRE EXPLICOU AOS FIEIS O SENTIDO DO TRÍDUO PASCAL, ENFATIZANDO A ESPERANÇA DA PÁSCOA.

Na Semana Santa, Papa dedica catequese ao Tríduo Pascal

Santo Padre explicou aos fiéis o sentido do Tríduo Pascal, enfatizando a esperança da Páscoa: “nossa vida não termina diante da pedra de um sepulcro”

Jéssica Marçal
Da Redação

Francisco explica o sentido do Tríduo Pascal, ápice do ano litúrgico / Foto: Reprodução CTV

Francisco explica o sentido do Tríduo Pascal, ápice do ano litúrgico / Foto: Reprodução CTV

Na catequese desta quarta-feira, 1º, o Papa Francisco falou sobre o Tríduo Pascal, ápice do ano litúrgico e da vida cristã. A reflexão se insere no contexto da Semana Santa, que os católicos vivenciam deste o último domingo, 29, Domingo de Ramos.

O Tríduo começa na Quinta-Feira Santa, com a comemoração da Última Ceia, quando Jesus, na véspera de sua paixão, instituiu a Eucaristia. Nesta mesma celebração, realiza-se o gesto de lava pés, um gesto que, conforme explicou o Papa, exprime o sentido da vida e da paixão de Cristo, ou seja, o serviço a Deus e aos irmãos.

Já na sexta-feira é dia de meditar sobre o mistério da morte de Cristo, com a adoração da Cruz. Francisco explicou que todas as Escrituras encontram seu cumprimento no amor de Jesus que, com o seu sacrifício, transformou a maior injustiça no maior amor. E ao longo dos séculos, muitos homens e mulheres deram seu testemunho de vida e refletiram um raio desse amor perfeito de Cristo.

“Adorando a Cruz, olhando Jesus, pensemos no amor, no serviço, na nossa vida, nos mártires cristãos e também nos fará bem pensar no final da nossa vida. Ninguém de nós sabe quando isso vai acontecer, mas podemos pedir a graça de poder dizer: Pai, fiz o que pude. Está consumado”.

Do Sábado Santo, Francisco destacou o silêncio, pois a Igreja contempla o “repouso” de Cristo no túmulo após o combate da cruz. É um dia de grande identificação com Maria, que permanece sozinha com a chama da fé acesa, esperando a Ressurreição de Jesus, comemorada no Domingo de Páscoa.

“A pedra da dor é abatida, deixando espaço à esperança. Eis o grande mistério da Páscoa! (…) A nossa vida não termina diante da pedra de um sepulcro, a nossa vida vai além com a esperança em Cristo que ressuscitou justamente daquele sepulcro. Como cristãos, somos chamados a ser sentinelas da manhã”.

Francisco concluiu a catequese com um convite aos fiéis: “Nesses dias do Tríduo Sagrado, não nos limitemos a celebrar a paixão do Senhor, mas entremos no mistério, façamos nossos os seus sentimentos, as suas atitudes. Assim, a nossa será uma ‘feliz Páscoa’”.

Acesso Restrito