MATEUS 3,13-17 (424)

Texto bíblico comentado (424)

Irmãos e irmãs,

Participemos da leitura e reflexão diária da Palavra de Deus. Ao dizer que nos convém cumprir a Justiça, Jesus envolve todos os seus seguidores em todos os tempos.

Mateus 3, 13 – 17 – Batismo de Jesus – Nesse tempo, veio Jesus da Galiléia ao Jordão até João, a fim de ser batizado por ele. Mas João tentava dissuadi-lo, dizendo: "Eu é que tenho necessidade de ser batizado por ti e tu vens a mim?" Jesus, porém, respondeu-lhe: "Deixa estar por enquanto, pois assim nos convém cumprir toda a justiça". E João consentiu. Batizado, Jesus subiu imediatamente da água e logo os céus se abriram e ele viu o Espírito de Deus descendo como uma pomba e vindo sobre ele. Ao mesmo tempo, uma voz vinda dos céus dizia: "Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo". Palavra da Salvação!

Comentário: O interesse de Jesus em participar do batismo realizado por João Batista era evidente. Para participar dele era preciso que saísse da Galiléia, norte da palestina, em direção ao sul, onde se situava a Judéia, mais precisamente no rio Jordão, nas proximidades de Betânia, a uma distância aproximada de 140 km. Porém Jesus não hesitou em participar daquele momento.

Sabemos que o batismo de João visava o arrependimento de pecados e que se desse fruto de verdadeira conversão, cf Mt 3, 8 e 11: "Produzi fruto digno de arrependimento". Por outro lado, sabemos da ausência de pecados em Jesus. Então podemos questionar: por que Jesus se submete a um batismo que era sinal de arrependimento, se Ele não tinha pecado? João percebe isso e o demonstra quando tenta dissuadi-lo, dizendo: "Eu é que tenho necessidade de ser batizado por ti e tu vens a mim?".

A resposta de Jesus é decisiva: "Deixa estar por enquanto, pois assim nos convém cumprir toda a justiça". E dela podemos compreender porque Ele aceitou participar do batismo de João, que envolvia arrependimento e conversão de pecadores: 1. Por Seu batismo Jesus satisfazia a Justiça de Deus, ou seja, o Plano de Deus com relação à Salvação solicitava que assim ocorresse; 2. Ele próprio era justo agindo assim; 3. Era preciso que Ele se identificasse com os pecadores; 4. Ele preparava assim o futuro batismo dos cristãos, apresentando-se como modelo deles.

Batizado, Jesus saiu das águas - que havia abençoado com a sua presença - e logo os céus se abriram e Ele viu o Espírito de Deus descendo como uma pomba e vindo sobre Ele. Ao mesmo tempo, uma voz vinda dos céus dizia: "Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo". Essa foi uma verdadeira Revelação. Deus está conosco. Jesus é o Filho de Deus confirmado e consagrado em Seu batismo pelas palavras de Deus e pela Unção do Espírito Santo.

Cumprir a Justiça é cumprir a Vontade de Deus. E é da Vontade de Deus que Jesus se solidarize com a humanidade, que se faça um de nós para nos santificar, libertando-nos do pecado. Essa é a grande missão de Jesus: Libertação e Vida. Vida em toda sua plenitude para todos, tendo como centro o Projeto de Deus. Mas ao dizer que nos convém cumprir a Justiça, Jesus envolve todos os seus seguidores em todos os tempos. A grande meta é aprender com Ele e imitá-lo.

Um forte abraço para todos

Fraternalmente,

Severino Alves

E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Acesso Restrito